05/10/10

BOLHAS NOS PÉS

As bolhas são o acúmulo de fluído entre as camadas interna e externa da pele. Surgem com o excesso de atrito ou ainda por queimaduras ocasionadas pelo frio, calor ou muito sol, doenças na pele, alergias e irritações na pele provocadas por agentes químicos. A região afetada pode se encher de um líquido incolor ou se tornar vermelhada caso haja rompimento de algum vaso. Quem tem a pele mais fina, como no caso dos idosos, pode ter bolhas com mais freqüência, já que facilmente se perde a camada de gordura da pele.
Uma boa forma de prevenção é evitar o uso de sapatos novos por um período muito longo e amaciá-los com o uso gradual. Observar também o uso de calçados muito apertados ou muito largos, é preciso verificar o perfeito ajuste nos pés.
As meias anti-bolhas devem ser de preferência de algodão e sem costura ou com o mínimo possível.
Além disso, não se pode descuidar da higiene dos pés e nem tomar banho (principalmente os com água quente) antes de uma caminhada, já que a pele amolece e fica mais propensa às lesões.
Furá-las nem pensar, pois ocorre o risco de infecção. Elas tendem a secar em uma ou duas semanas e o recomendado é rompê-las somente em caso de muita dor, com material esterilizado, drenando-a em seguida, sem arrancar o “teto” da bolha, pois ele serve como proteção à pele. Após esse procedimento, mantenha um curativo com vaselina e micropore até que seque. Exposição ao sol somente após a cicatrização completa da bolha, a fim de evitar manchas nos pés.
É importante certificar-se de que as bolhas nos pés não estejam relacionadas a outras doenças dermatológicas como herpes, desidrose e micose nos pés.

 Os pacientes diabéticos devem examinar seus pés diariamente e evitar qualquer tipo de lesão por terem deficiência na cicatrização.
Ao surgimento de bolhas ou qualquer outro tipo de lesão, o ideal é comunicar seu Podólogo, médico ou a equipe de saúde de diabetes.

Nenhum comentário: